sábado, setembro 05, 2009

Roteiro Celta





Ontem fui de encontro às raízes ancestrais,por Terras de Endovelico.



Hospede inúmeras fotos no slide.com GRÁTIS!
Cito o autor deste texto:

« Peregrinação por Terras do Deus Endovélico. »
fevereiro 08, 2008

O Deus Endovélico
No dia 3 de Fevereiro e integrado nas comemorações dos 150 anos, do nascimento do ilustre arqueólogo que foi José Leite de Vasconcelos, - que se completam a 07-07-2008, - cerca de 60 elementos, do Grupo dos Amigos do Museu Nacional de Arqueologia, e o seu Presidente, o arqueólogo Dr. Luís Raposo, dirigiram-se em peregrinação a terras do antigo deus celta; o Endovélico!

Aqui estiveram, em Terena, numa visita relâmpago ao Castelo, à parte mais antiga da Vila e ao Santuário da Boa Nova, estudiosos, e curiosos, do apaixonante tema que é a arqueologia, matéria que, procura desvendar, para tornar públicos, os obscuros mistérios do passado, relacionados principalmente com a presença do homem na Terra, desde os tempos mais remotos, em que a informação que existe é por vezes tão escassa.

Continuando a visita, dirigiram-se de pronto ao Outeiro de São Miguel da Mota, local onde é suposto ter existido, um grandioso Templo, ao deus Endovélico.
Por caminhos, de cabras, fazendo parte do percurso a pé, chegamos ao cume da “Sagrada Montanha!”

O sítio do Endovélico fica apenas a 3 quilómetros de Terena, em linha recta.
Terena, uma terra com 5000 anos de história, que mudou várias vezes de nome e de lugar, mas fixando-se sempre ao redor da Ribeira de Lucifécit. Terena, ligada desde o início ao Endovélico, é a povoação que alberga os descendentes, daquele primitivo povo, que há milhares de anos, inventou, e adorou, o “bom deus da medicina”: o Endovélico.

Foi porém, durante a ocupação destas terras pelo Império de Roma, que este culto atingiu o seu auge, e os romanos deram-lhe então um corpo, talhado em mármore branco, para o qual, segundo a tradição oral terão edificado um grandioso Templo, que se supõe ter existido no local designado de São Miguel da Mota, ou algures, nas proximidades.

Com a chegada do Cristianismo a estas paragens, ao longo de séculos foi sendo retirado todo o importante espólio, que terá pertencido ao majestoso Templo do polivalente deus Endovélico.
Está escrito que, só “colunas em riquíssimo mármore branco”, o Cardeal D. Henrique, “roubou 96”, para serem empregues no Seminário do Espírito Santo, que estava então edificando em Évora.
D. Teodósio de Bragança, não se ficou atrás e levou para Vila Viçosa, também, uma boa parte do espólio então ainda existente.

José Leite de Vasconcelos, para evitar que o que ainda encontrou viesse a cair em mãos menos próprias, fez transportar para o Museu Nacional de Arqueologia, do qual foi o seu primeiro director, o que lhe pareceu ser já tudo quanto restava, do património histórico cultural, que ao longo de muitas gerações, fez fervilhar de vida, aquele que foi um “lugar, sagrado”, para os nossos antepassados.

Enganou-se, porém, Miguel de Vasconcelos. Havia mais por descobrir, ainda!

Escavações levadas a cabo, por um grupo de arqueólogos, do qual faz parte o Dr. Amilcar Guerra, puseram a descoberto em 2002, mais uma série de imagens, encontradas nos alicerces da Igreja de São Miguel, as quais, tinham sido utilizadas ali na construção da dita igreja, como se de pedra vulgar se tratasse.

Regressamos, para um almoço gentilmente oferecido pelo Município do Alandroal, e servido a bordo do barco Guadiana, num mini cruzeiro, pelo Grande Lago Alqueva!

Este fértil dia para a cultura local, terminou, no Fórum Cultural Transfronteiriço do Alandroal, com uma conferência, proferida pelo Dr. Amilcar Guerra, da Universidade de Letras de Lisboa, versando o tema: Leite de Vasconcelos e o Templo do Deus Endovélico.

Posted by major.jeronimo.ter at fevereiro 8, 2008 02:12 PM
Retirado do blog boa nova


Slide retirado do blog 'a barragem de lucefecit'
--------------------------

Inicei a romagem a Endovélico,na simpática vila do Alandroal,tendo visitado o Castelo Gótico (ver foto).


A fundação da Fortaleza de Alandroal deveu-se a D. Lourenço Afonso, 9º Mestre da Ordem de S. Bento de Avis, em obediência ao rei D. Dinis e a sua construção terminou no ano de 1298.
-------------
Seguimos na estrada municipal até ao Rosário (aldeia) para visitar a Necrópole de Sepulturas, um local de respeito, onde jaz os nossos antepassados. São Sepulturas escavadas na rocha, com data do Século X - XIII.
Acesso: EM 1109 junto ao campo de futebol da Aldeia do Rosário, encontra
m-se as placas de sinalização do local.

-------------
A nove quilometros do Alandroal fica a aldeia de Terena, com o seu imponente Castelo (muito degradado)
Slide retirado do blog 'a barragem de lucefecit'
------------

Segue-se a Anta do Lucas (Terena)

Conjunto de pequenas antas de xisto pré-históricas, muito danificadas. A proximidade dos santuários do Endovélico e do Poio Grande dão à necrópole do Lucas um enquadramento arqueológico muito especial.
Cronologia: Neolítico - IV milénio antes de Cristo
Acesso: Estrada Municipal (EM) de Hortinhas para Orvalho, à saída da Aldeia das Hortinhas seguir a placa que se apresenta à direita.


A Rocha da Mina (Terena)
Santuário rupestre implantado num esporão rochoso com vertentes abruptas, cuja área habitável é extremamente reduzida. As escadas e os pavimentos talhados na rocha são elementos recorrentes num número relativamente elevado de santuários pré-romanos, alguns dos quais romanizados, e são interpretados frequentemente como "altares de sacrifícios".
Este tipo de monumentos é conhecido na meseta espanhola e no norte de Portugal, em áreas consideradas de maior celtização.
Cronologia: Idade do Ferro - Séc. II-I antes de Cristo.
Acesso: EN 373 sentido Alandroal Redondo, ao Km 6,5 seguir as placas de sinalização do local que se encontram à esquerda.

--------------------------
São Miguel da Mota (outeiro)
São Miguel da Mota, classificado como Local de Interesse Nacional, pelo Ministério da Cultura. É um serro no Alandroal, Alentejo a 6 Km de Terena onde se encontra um raro templo dedicado á Divindade Pré-Romana Endovélico.



--------------------------
Visita a Évora

Templo de Diana








Menir dos almendres





Cromeleque dos Alemendres

Conhecido popularmente por "Alto das Pedras Talhas", é o maior recinto megalítico da Peninsula Ibérica e um dos mais antigos monumentos da Humanidade.
Éstá, actualmente, estruturado por cerca de uma centena de monólitos, alguns deles decorados com gravuras.
Edificado há cerca de 7000 anos, no Neolítico Antigo, apresenta uma planta oval que resulta de acrescentos e remodelações ao longo do tempo.





Sem palavras, simplesmente mágico.
Que os deuses nos iluminem!




Estudos sobre endovélico:

2 comentários:

Anónimo disse...

Orgulho Lusitano, Orgulho Português!
88

.lestat disse...

São realmente monumentos impressionantes, pena o estado de abandono em que se encontram (as sepulturas medievais, o castelo de Juromenha e o de Mourão...perde-se rapidamente a vontade de ver mais na zona...só cá mesmo!