sexta-feira, julho 01, 2011

ÉTICA REVOLUCIONÁRIA - PEDRO VARELA







Davi DeLarge ) 

Este é um resumo da obra “Ética Revolucionária” de Pedro Varela. Selecionei somente o que acho aproveitável, já que alguns itens são totalmente conformistas. 

I - “Guarde seu espírito fora das correntes de moda e sobre as críticas dos ignorantes da vez. Apenas assim poderá conservar seu juízo claro para a luta”.

A moda sempre foi um grande problema ético. Não é possível viver segundo ela, que depende das campanhas de propaganda do Sistema. É evidente que não se pode atuar ou viver como se estivéssemos no século XII, mas nem por isso se pode trocar a forma de ser por mera moda ou pelo que as pessoas fazem, e sim aceitar um modo de vida ético. Assim, pois, é possível não permanecer como que distante da realidade, mas sem servir ao Sistema. Existem muitas formas de atuação ética e o tempo faz com que certos costumes variem, mas a ética, por fim, nunca deve ser perdida. É uma norma básica.

II - “Mantenha sempre seu cérebro ativo. Não esteja ocioso. Ajude a saúde de seu corpo mantendo uma mente clara. Escolha bem suas leituras ou peça conselho a pessoas de sua confiança. Escreva, medite, estude”.

Este ponto é tão fundamental que somente ele, tendo sido bem aplicado, poderia ter eliminado o nefasto processo de skinheads inclinados para a brutalidade, que mancharam o Nacional Socialismo com uma imagem de ganguistas interessados em brigas e em futebol. A idéia do “nazi” colegial é somente aceitável se também o espírito o é. A formação, a leitura dos clássicos, a música, entre outros, formam a verdadeira base de todo nacional-socialista.

III - “Tenha fé. A fé é um patrimônio que não podem lhe roubar. É sua única arma invencível. Frente ao poder do dinheiro, e a depravação materialista, levante a tocha de sua fé na vitória final”.

Se você coloca em discussão a necessidade de lutar, você deixará de fazê-lo. Há mil “razões” para deixar de lado os sacrifícios. É demasiado fácil criar justificativas para abandonar o compromisso. A fé na luta, a clara idéia de se manter em combate constante, não somente até os 35 anos de idade, mas de não deixá-la jamais, é o que de fato deveria definir a militância nacional-socialista. Particularmente, vi muitos camaradas que eram magníficos nacional-socialistas aos 25 anos, mas que dez anos depois procuravam desculpas para justificar o fato de se viver tranqüilos em casa. Podem-se mudar as táticas ou grupos, mas nada justifica o abandono da fé na luta.

IV - “Mantenha-se à margem da propaganda burguesa e democrática. Os jornais, as revistas, o cinema, a televisão, estão impregnados de ceticismo, materialismo e numerosos valores negativos. Leia e propague a imprensa nacional revolucionária, que denuncia a hipocrisia do Sistema”.

VI - “Despreze o traidor. O traidor carece de honra e por isto é indigno de ser tratado como pessoa. Seja valente. Um caráter débil é facilmente vulnerável. Não confunda valentia com inconsciência ou temeridade. Aquela é fruto do amadurecimento como homem. Estas, são reflexos de uma mente infantil. Despreze o covarde. A covardia é uma fraqueza. Também o valente tem medo, mas possui a força espiritual necessária para vencê-lo. O covarde é egoísta, pois assegura sua própria integridade a custo dos demais”.

IX - “Não confunda o amor com mera atração física. O prazer físico é efêmero e se busca como único fim, degradante. O amor é altruísmo, a negação de o próprio ser para formar outro em que se fundem os espíritos dos amantes. Somente assim o amor é eterno. Entregue-se de todo coração à pessoa amada”.

A imprensa, o cinema e a televisão nos apresentam o sexo como um elemento separado do amor e a este como mera relação temporal amistosa e sexual. E os reacionários, por sua vez, apresentam-no como algo maligno e pecaminoso. Bem na verdade, o sexo é maravilho se está dentro do amor. E o amor é sublime, pois vence o egoísmo individualista. Se o amor somente serve para justificar o sexo e se este somente busca o prazer, o homem se converte em um animal. Se uma pessoa gosta de você, sexualmente falando, mas não a ama, você deve respeitá-la e exigir respeito, pois, do contrário, fazer o sexo apenas por prazer, sem maior transcendência, é algo que degrada sua qualidade como pessoa. Na vida, você não deve buscar o prazer. Deve, sim, buscar a dignidade, o dever cumprido, a obra feita, a elevação como pessoa. Se o prazer comanda seus objetivos, automaticamente você é parte do Sistema. Mas se você os ama, negar o papel do sexo é uma atitude reacionária e frustrante por si só, que castra as possibilidades humanas. Não seja casto pelo fato de outrora ter sido infame. No Nacional Socialismo, tanto a mulher quanto o homem têm papéis distintos, mas com um papel igual com relação à dignidade e o amor. O machismo e o feminismo são duas aberrações do mundo liberal.

X - “Mantenha-se sempre preparado para a luta. Lembre que esta se apresenta em cada instante e de muitas formas. A luta física, uma guerra, é a mais fácil; sabe onde está o inimigo e os objetivos são claros. Mas as modas, as correntes ideológicas de origem obscura, as atividades degradantes, a vida fácil... São inimigos que vão socavando seu espírito. A vida é uma luta constante”.

XI - “Respeite seu corpo. Tenha em conta que um modo de vida decadente é um triunfo do inimigo. Uma imagem forte é importante, mas não é garantia suficiente, pois pode esconder fraquezas interiores nefastas. Cuide de seu corpo e de seu espírito. O vício degenera o corpo e o espírito. Não deixe que nenhum vício o domine. Pense que quanto mais preso se encontre, mais difícil será para livrar-se dele. O vício rebaixa a condição humana e este a afasta do arquétipo ideal que devemos inclinar, ainda que sem atingi-lo totalmente”.

Há camaradas que abominam o uso das drogas, ao mesmo tempo em que fumam e bebem sem controle. Possuem músculos e, no entanto, não saber se conter diante dos próprios vícios. E existem aqueles que não são capazes de subir uma montanha ou nem agüentam cinco minutos de marcha atlética. A gordura e a debilidade é uma falta de estilo tão grave quanto a brutalidade e a barbárie. Não é preciso ser um ginasta nem ser abstêmio, Não se exige ser um intelectual nem saber usar os punhos. Mas é preciso estar em forma de corpo e intelecto. É sempre recomendável não fumar. Beber com moderação. E entre os esportes, nada melhor que as montanhas e o contato com a natureza. É melhor caminhar que fazer artes marciais. Melhor contemplar os cumes, depois de uma boa marcha, que golpear ou brigar.

XIX - “Pratique esportes. Não tema o esforço físico. Ele o levará a conseguir um corpo sadio e um espírito duro, a ver a vida com otimismo e confiança em si mesmo e a educar sua vontade. Tenha em conta que ele é o escudo do seu espírito. Um escudo fraco poderá se quebrar no meio de um combate e o deixará sem proteção. Um escudo forte pode ser sua melhor arma em momentos difíceis”.

XXIV - “Respeite a família, pois é a ela que deve sua existência e dentro dela é onde aprendeu suas primeiras lições como homem. Respeite também a autoridade de seus pais. Escute seus conselhos, mantendo ao mesmo tempo suas convicções. Eduque seu espírito no altruísmo, preparando-se para o dia em que formar sua própria família”.

XXVII - “Ame a tradição. Ela é a expressão do sentimento do povo, o patrimônio espiritual de sua raça. Aprenda a discernir o que é verdadeira tradição dos hábitos adquiridos em determinadas épocas e circunstâncias, impostas por outros povos alheios à sua cultura, por ideologias nocivas ou fruto de momentos de decadência. Não confunda tradição com costume”.

XXX - “Aprenda a apreciar o belo. A contemplação da Natureza o ajudará nisso. Somente quando nos mais insignificantes detalhes da Natureza encontrar beleza, somente quando compreender a infinita perfeição do menor ser vivo, você poderá ser capaz de guiar seus gostos por si mesmo. Forme-se no natural. Siga os ensinamentos que a Natureza dita e aplique-lhes a sua condição de Homem. Não se deixe influenciar pelas correntes que se opõem a essas idéias, por mais fortes que elas sejam”.

XXXII - “Não existem trabalhos dignos e indignos, mas trabalhadores bons e maus. As classes baseadas no rendimento econômico dos empregos são artifícios políticos, injustas e contrárias à natureza humana. As únicas classes que podem existir são as dos que trabalham e as dos que não trabalham, com as mãos ou o intelecto”.

XXXIV - “Cuide de seu espírito, precisamente porque todo seu ser deve formar uma harmonia. Pense que somente ele é imortal e eterno. A verdadeira arte é um meio ideal para ele. Conheça a expressão artística de sua cultura. Aprenda a sentir sua arte. As obras de arte são a sublimação do espírito de uma civilização, através dos seus gênios. Nunca esqueça a diferença que existe entre o verdadeiramente artístico e o meramente estético. A arte inunda o espírito, penetra até o mais profundo de nosso ser. O meramente estético fica nos sentidos, agradando a estes, mas sem contribuir o desenvolvimento de seu espírito”.

Sem comentários: