sexta-feira, maio 13, 2011

Um Estado Social e Nacional!


PNR compreende finlandeses que não querem ajudar Portugal

«Eles são perfeitamente soberanos para não quererem ajudar um país que só fez disparates atrás de disparates»






José Pinto Coelho, presidente do PNR (Partido Nacional Renovador) afirmou esta sexta-feira, em entrevista ao «Jornal da Uma» da TVI que compreende o facto de o partido dos Verdadeiros Finlandeses «não quererem emprestar dinheiro a um país que só fez disparates».

«Eles estão no seu papel. Cada um tem de tratar em primeiro lugar da sua casa, e só depois da dos outros. Eles são perfeitamente soberanos para não quererem ajudar um país que só fez disparates atrás de disparates. Estão no seu direito. Nós não temos que nos andar a agachar a pedir esmolas».

José Pinto Coelho considera que «a grande culpa da situação do país é dos políticos que nos têm roubado há anos sem fim, mas muitos portugueses, por muito que se queixem, acabam por ter o que merecem porque não votam, demitem-se das suas funções de poder correr com eles e pior são os que teimam em votar neles».

«Os nossos governantes deram cabo de Portugal nos últimos anos. Estamos a enveredar por políticas de cortes que nada vão resolver porque o panorama não vai mudar», disse.

A critica é feita ao «clube dos cinco, os partidos que estão instalados na Assembleia da República há muito tempo e nomeadamente aos três partidos que são absolutamente iguais, farinha do mesmo saco, que são CDS, PSD e PS, que ajoelham perante a senhora Merkel». 

Para José Pinto Coelho, a única solução para a economia portuguesa é uma solução a prazo, que é voltar a produzir. «Se não é Portugal a cuidar de si, ninguém mais o fará. Não é o FMI usurário ou a UE totalitária que vai cuidar de nós pelos nossos bonitos olhos»

E aponta mesmo culpas da crise à EU e à moeda única. «O euro entrou em Portugal e deu cabo do nível de vida dos portugueses porque continuamos a receber os ordenados na lógica do escudo, mas na hora de consumir, pensa-se em euros».

«A Europa não tem cuidado de si verdadeiramente. Basta ver como a Europa tem cuidado de si na sua identidade, basta ver aquelas manifestações de muçulmanos em Londres, a denegrir e dizer mal do país que os acolhe. E o que nós desejamos é que a União Europeia de facto acabe, dê o trambolhão por si própria.

O líder do PNR aponta mesmo o ressurgimento do nacionalismo na Europa como «o futuro». «As nações têm de cuidar de si».

O PNR recusa «o rótulo» de ser contra os imigrantes. «Quem está por bem, porque quer melhorar as suas condições de vida e está a contribuir, é bem-vindo. Nós somos é contra políticas suicidas de imigração». «Portugal e a Europa tem sido invadida por imigrantes, que vêm destabilizar todas as nações. Pôr em causa a nossa identidade, desviar subsídios dos portugueses».

«O problema mais grave da imigração é a que traz subsidiodependência e criminalidade», defendeu José Pinto Coelho.







PNR

Sem comentários: